Notícias

Ideias criativas para uma cidade acessível

A construção do trabalho considerou os mais diversos ambientes, como casa, hospital, praia, ruas, estabelecimentos de alimentação, escola, shopping, lojas, cinema, empresas, pet shop e academias. O objetivo foi provocar os alunos a usarem a criatividade para propor soluções de acessibilidade.

As ideias dos alunos das turmas do 6o ano encantaram os professores e colegas. A proposta da professora Mariana Feyh foi explorar o conteúdo de aprendizagem que aborda o Sistema Nervoso e os cinco sentidos na disciplina de Ciências. Cada estudante foi desafiado a pensar quais são as necessidades das pessoas surdas, cegas e cadeirantes em uma cidade, observando o que já existe de acessibilidade nelas e como seria a cidade ideal.

Entre os trabalhos, houve um projeto de estruturação interna de um avião com todas as adaptações para pessoas com deficiência. Para o trânsito, os alunos imaginaram uma evolução da sinaleira com sinal sonoro para cegos e o uso de um aplicativo no qual as pessoas, de forma colaborativa, agregam mais informações como obstáculos ou imperfeições nas vias.

Na praia, também foi possível pensar em acessibilidade. A proposta de um grupo foi colocar blocos com piso tátil e rampas de acesso. Nas residências, surgiram ideias como escadas que são transformadas em rampas, permitindo ao deficiente ter fácil acesso. Até mesmo um projeto de uma bengala eletrônica foi elaborado, com o equipamento indicando a localização dos lugares e avisando se a pessoa está indo para o lado certo ou errado.