Notícias

Estudantes aprendem sobre preservação das matas nativas e o impacto das chuvas nas cidades

O cenário recente de inundações em Porto Alegre e outras cidades pôde ser melhor compreendido por alunos graças a experiência prática vivida ao longo desse mês. Divididos em grupos, estudantes do Colégio Província de São Pedro visitaram a Quinta da Estância localizada na cidade de Viamão, desde o início desse mês. Em um dos encontros, o aprendizado foi direcionado ao impacto da ação do homem na terra.

As crianças fizeram um mapeamento meteorológico em sala de aula nas disciplinas de Geografia e Ciências e a visita serviu como uma aula prática. Ao ver o efeito da água não tendo absorção suficiente no solo, a aluna Maria Antônia Bertuzzo Brun, de 12 anos, entendeu melhor o motivo das enchentes nas cidades.

– Eles mostraram quatro tipos diferentes de ambientes e a gente aprendeu porque acontecem os alagamentos. Não existem mata e nem raízes para sugarem a água. Também vimos que o solo virgem é perigoso porque pode desabar – comentou.

A técnica foi mostrada no espaço, chamado de Oficina da Água. O biólogo da Fazenda, Thiago Monteiro, explicou a diferença entre cada um dos 4 cenários.

– No primeiro, temos um ambiente degradado e sem cobertura vegetal. Em outro espaço mostramos um ambiente de mata nativa, no qual as raízes cumprem uma função importante de sustentação e absorção. No terceiro, simulamos um campo de futebol, onde existe uma cobertura vegetal, mas não é tão eficiente. Ao fim, mostramos a estrutura com piso e eles entenderam que não tem entrada de água para o solo e a água vai percorrer a superfície mais rapidamente – explicou.

No criatório, os alunos também tiveram contato com animais silvestres

– Gostei quando a gente foi visitar os animais que estão lá para se reproduzirem e depois retornarem para natureza, se estiverem bem – afirmou a aluna Larissa Bender Cardoso, de 12 anos.

O Criadouro Conservacionista foi fundado em 1996 e é o 1º Criadouro do Brasil com finalidade pedagógica. Cria e reproduz animais silvestres como papagaios, tucanos, emas, araras e capivaras.