Notícias

Como as crianças brincam em diferentes países?

Colégio da capital promove a Feira das Nações em sala de aula e exibe brincadeiras diversas pelo mundo

Algumas brincadeiras são universais, mas outras carregam traços culturais e geográficos de cada país. Para estimular o aprendizado, as turmas do 6º ano do Colégio Província foram desafiadas a estudarem as atividades mais comuns em diferentes nações, e o resultado foi apresentado em uma feira promovida para os colegas durante esta quarta-feira (10/10). Para o estudante Diego Steigleder Tubino Vieira, da turma 42, o que mais chamou a atenção foi a barraca da Índia.

– Eu fiquei impressionando com as brincadeiras naquele país, principalmente saber que eles brincam com uma cobra Naja – disse.

Katherine Perius Haeberlin, da turma 42, gostou de conhecer a gastronomia, cultura e hábitos das crianças na China.

– Foi reproduzido o jogo de dama deles, que é diferente e bem típico. Além disso, mostraram o biscoito da sorte que é bastante conhecido e característico de lá – comentou.

O trabalho foi coordenado pelas professoras de História e Geografia, unindo o conteúdo que está sendo debatido durante as aulas. A professora de História, Eliane Cavalcanti, comentou sobre o trabalho.

– A proposta foi analisar as características geográficas, costumes e culturas unindo ao tema da infância, aproveitando que estamos na semana da criança. Foi interessante estudar que brinquedos havia no passado e quais estão presentes hoje. Procuramos envolver também a culinária e cultura de um modo geral porque fazem parte desse contexto.

A professora Sandra Regina Barth, ficou impressionada com a motivação dos alunos.

– A empolgação deles foi surpreendente. Todos se esforçaram ao máximo para trazer um conteúdo interessante. Os alunos fizeram, também, questão de explicar para nós professores e para os outros colegas – disse.

Participaram do projeto as turmas 60, 61 e 62. O grupo que representou a Inglaterra trouxe a coleção do livro de Harry Potter, que fez sucesso no mundo inteiro, e lembrou sinais de superstição dos ingleses, como trevo de quatro folhas e o temido gato preto, símbolo de azar. Entre os alimentos, o Brasil foi representado com rapadura e brigadeiro e a China, com chá. No espaço dedicado à Alemanha, os alunos demonstraram uma diferença na, talvez, mais conhecida brincadeira infantil, que é o esconde-esconde. No país germânico, um dos participantes deve se esconder dos demais. Quando alguém o encontra, se esconde no mesmo lugar e assim sucessivamente. O último que sobrar passa a ser a pessoa que se esconderá na rodada seguinte.